Na terra como no céu

Os grandes e pequenos ciclos planetários impactam o fl uxo da nossa vida, abrem caminhos para escolhas e nos permitem uma eterna reconstrução

Nádia Oliveira

Rogerio Pallatta | <i>Crédito: Rogerio Pallatta
Rogerio Pallatta | Crédito: Rogerio Pallatta


O início de cada ano desperta em nós o impulso de renascer. Estamos sempre plenos de expectativas para que os próximos 12 meses nos tragam mais chances de conquistar o que não conseguimos no passado, e, ao mesmo tempo, nos mostrem caminhos para novidades felizes. Será que nosso ânimo aumenta diante dessa energia? Sim, talvez porque olhamos a vida em ciclos, “como uma onda no mar, num indo e vindo infi nito” – lembrando o coro alegre de Lulu Santos. Um novo ano, para nós, nada mais é que um novo ciclo, um período que, ao se iniciar, permite que se faça o bem e com melhores resultados. Ao estudar os ciclos do céu, a astrologia também analisa os ciclos em nossa vida. O mapa astral ou natal é um instante congelado, aquele que marca o nascimento e o começo da jornada da vida. A partir desse instante, passamos a vivenciar inúmeros ciclos, com oportunidades para acreditar que desta vez vamos acertar. No céu, os planetas seguem suas marchas naturais, impactando nosso dia a dia, ora desafiando, ora facilitando, mas sempre permitindo um eterno reconstruir de nossas bases.

Em 2018, vivenciaremos vários desses ciclos, por exemplo: a Lua atravessará todos os signos a cada mês, nos trazendo pequenas mudanças de sensações e de humor a cada dia e a cada instante. Emoções boas virão; no entanto, assim como as ruins, são eternas passageiras: chegam e se vão. Mercúrio começa e termina o ano no entusiasmado Sagitário. Mas acha que vai ficar ali parado? Não, ele passará pelos 12 signos ao longo do ano e vai propiciar todo tipo de reflexão a todos nós: de maneira ampla, sonhadora, pragmática, racional, objetiva, subjetiva, detalhista, emocional. Ou seja: teremos oportunidade de exercitar muitas nuances do pensar humano. Júpiter, planeta da sorte e da oportunidade, começa 2018 em Escorpião, nos inspirando para ir fundo, mergulhar de cabeça nas experiências. Em novembro chegará em Sagitário, nos permitindo – mais uma vez – um novo ciclo, um novo horizonte na vida. Saturno, que desde o final de 2014 estava no signo de Sagitário (tornando relevantes temas como ética e valores), já inicia 2018 em nova etapa: Capricórnio, e agora o tema é objetividade, trabalho e resultados práticos. Sim, prepare-se para trabalhar duro este ano! Urano, que caminha com mais lentidão, segue até maio no signo de Áries, mantendo a polêmica energia que marcou os últimos anos: agressividade, ânimos exaltados, disputas e opiniões radicalmente divergentes. Porém, tudo o que parecia permanente mudará de forma profunda nos próximos meses com a chegada do planeta em Touro.

E, assim, em completa reciprocidade com o céu, vamos experimentando o sabor do novo, da transformação. É nesses grandes e pequenos ciclos que se vive um reconstruir permanente, em que cada instante pede novas escolhas – sejam elas certas ou erradas. Afinal, nenhuma durará para sempre. Errou? Tudo bem, dá para resolver logo ali, na próxima curva. Basta caminhar



13/02/2018 - 09:00

Conecte-se

Revista Bons Fluidos