Aulas de idiomas com refugiados

Centro de pesquisa em São Paulo promove um intercâmbio de conhecimentos no ensino de idiomas e da cultura dos países de origem de seus professores

Texto: Stefanie Rigamonti | Fotos: Divulgação | Adaptação web: Tayla Carolina

Centro de cultura e pesquisa Bibli-ASPA | <i>Crédito: Divulgação
Centro de cultura e pesquisa Bibli-ASPA | Crédito: Divulgação


Além de ser uma ONG que oferece diversos serviços gratuitos a refugiados e imigrantes residentes na cidade de São Paulo, o centro de cultura e pesquisa Bibli-ASPA incentiva trocas culturais por meio de aulas de idiomas com refugiados.

E estas acabam sendo também uma ótima fonte de renda para a instituição manter suas atividades sociais, sempre dedicadas à difusão de conhecimentos sobre povos africanos, árabes e sul-americanos.

Durante o mês de julho de 2018, estão abertas as inscrições para cursos intensivos de línguas ministrados por refugiados, com ênfase no ensino da cultura de seus países de origem.

O camaronês Dimbo Mbome Hippolyte Quentin, graduado em Gestão da Relação com Cliente em seu país, é o professor de francês com cultura africana.

Para ele, a iniciativa é uma ótima oportunidade de intercâmbio de conhecimentos. “Minha motivação é o amor. Eu gosto de compartilhar com as pessoas a minha cultura e, ao mesmo tempo, aprender com elas.

E isso é muito importante, já que o elemento cultural é o que mantém os povos unidos em torno de valores”, complementa. A biblioteca da instituição, localizada no bairro Santa Cecília, em São Paulo, tem diversos livros sobre as culturas africana, árabe e sul-americano.

 

Para ler mais dicas como as aulas de idiomas com refugiados, compre a revista Bons Fluidos – Ed. 229



06/07/2018 - 12:07

Conecte-se

Revista Bons Fluidos