Ele teve morte cerebral, se curou e agora estuda o impacto da mente na cura

Criador do Método Gerenciamento BioEmocional, médico interpreta o poder da mente na cura e prevenção de doenças

BONS FLUIDOS Publicado quinta 17 setembro, 2020

Criador do Método Gerenciamento BioEmocional, médico interpreta o poder da mente na cura e prevenção de doenças
Dr. Carlos Veiga explica a relação da mente com a prevenção e a cura de doenças - Divulgação

Há mais de duas décadas o médico Carlos Veiga Junior vem estudando como a nossa mente é capaz de prevenir e até curar as doenças e também, como os pensamentos são capazes de desencadear sintomas no nosso corpo físico. Ele é criador do método Gerenciamento BioEmocional (GBE), que já ensinou mais de 3,5 mil pessoas a entender como ocorre essarelação corpo e mente, e as maneiras de gerenciar para uma vida mais feliz e saudável.

O método é fruto de muito estudo, mas também de uma experiência pessoal. Há 28 anos, Veiga sofreu um acidente doméstico e teve sua morte cerebral decretada pelos médicos. Inexplicavelmente ele se curou deste quadro considerado irreversível e a partir de então,começou ir mais a fundo para entender o que a medicina tradicional não conseguiu explicar.

+++ VEJA MAIS: Para ser mãe não precisa ser perfeita

Natural de Jundiaí, Veiga conta que morava no Rio de Janeiro onde iniciava os primeiros anos na carreira de medicina. “Um dia, eu estava tomando banho e me intoxiquei com monóxido de carbono, que é um produto resultante da queima do gás de petróleo. Eu entrei em coma embaixo do chuveiro e fui encontrado pelo meu colega de apartamento”, relata.

Levado às pressas para o hospital, Veiga teve sua morte cerebral decretada já que havia ficado mais de 30 minutos sem oxigenar o cérebro – o que segundo a ciência, não pode passar de 3 minutos. “Minha família foi chamada e o teor do comunicado era justamente vir para cuidar do meu enterro, pois não havia reversão do quadro clínico”, explica.

O cenário foi o mesmo por dias, até que numa manhã Veiga simplesmente acordou. “Até hoje os médicos não conseguiram explicar como isso aconteceu, como simplesmente acordei de um quadro de morte cerebral e sai dirigindo do hospital. E essas situações onde a razão não explica já vinha me incomodando há tempos, era fonte de meus questionamentos. Após essa experiência pessoal, parti então mais a fundo para pesquisar e tentar compreender a relação da mente com a prevenção e a cura”, diz.

+++ VEJA MAIS: Adeus, TPM! Saiba quais fitoterápicos combatem desordem hormonal, promovem mais energia e aumentam a libido

Para Veiga, a medicina dita tradicional continua tendo sua imensa importância e seus estudos, bem como o Método GBE, atuam justamente de um modo mais profundo. “As doenças são pedidos de socorro da nossa mente e muitas vezes curamos temporariamente o corpo, mas a mente continua enferma e é aí que entra o Método GBE”, finaliza.

Último acesso: 01 Dec 2020 - 11:41:20 (1043446).