Testeira

Cefaleia x enxaqueca: práticas do dia-a-dia podem ajudar a controlar crises

Na coluna desta semana, Jamar Tejada aponta quais elementos da nossa rotina podem atenuar a famosa 'dor de cabeça', tão presente na população brasileira e, mais do que isso, mundial

JAMAR TEJADA Publicado quarta 21 abril, 2021

Na coluna desta semana, Jamar Tejada aponta quais elementos da nossa rotina podem atenuar a famosa 'dor de cabeça', tão presente na população brasileira e, mais do que isso, mundial
Enxaqueca e cefaleia são problemas que acometem grande parte da população brasileira - Freepik

Você sofre com cefaleia ou enxaqueca? Sabe a diferença entre cada uma delas?

A cefaleia é o termo técnico para dor de cabeça. Já a enxaqueca, que também é chamada de migrânea, é um dos tipos de cefaleia, mas não o único, porque existem outros 150!

Há criaturas que sofrem dores bem mais intensas, que chegam a ter náusea, vertigem, desiquilíbrio, ficam intolerantes a qualquer barulho ou até mesmo luz. Como a enxaqueca tem um tempo de duração definido, entre quatro horas a três dias, geralmente o tratamento se resume a controlar os sintomas.

 Se quem já sofria com dor de cabeça antes de toda essa triste história de pandemia, imagina agora então, que o estresse gerado pela incerteza, medo, insegurança ou qualquer outro mal que o aflija é constante!

Difícil manter a cabeça zen. Pior ainda para as mulheres que sofrem bem mais com as crises de enxaqueca do que os homens, certamente pela constante alteração hormonal nos períodos de menstruação, ou mesmo no climatério ou na menopausa... Mas não há regra, ela pode chegar em qualquer fase -- e se você começou a usar anticoncepcionais com o objetivo de segurar as crises, saiba que eles podem agravar...

MAIS COMUM DO QUE PODE PARECER

Mas não pensem que só as mulheres sofrem, estima-se que 98% das mulheres e 95% dos homens irão sofrer, pelo menos, um episódio significativo de cefaleia durante a vida, não estamos tão atrás assim!

A prevalência anual da migrânea no Brasil é estimada em 15,8%, acometendo 22% das mulheres e 9% dos homens, e o pico de incidência acontece entre 30 e 40 anos, justamente a fase em que estamos no furacão da vida profissional -- afinal, quando mais estresse, mais dor de cabeça!

COMO TRATAR?

Antes de tentar qualquer alternativa, seja com analgésicos, anticoncepcionais, antiinflamatórios ou até mesmo os opioides, saiba que muitas vezes uma simples mudança na sua rotina de vida, como melhora da qualidade da alimentação e prática de exercícios físicos pode ser a solução. Pois é! E se não SOLUCIONAR, tenha certeza que vai te fazer sentir melhor!

Na maioria dos casos o problema não está no que deveria ser acrescentado na dieta, mas no que deveria se abrir mão! Um alimento não é a causa das crises, mas pode ser o desencadeante delas. Aliás, dica interessante:

Um alimento apenas pode ser considerado desencadeante quando a crise de enxaqueca se inicia nas seis horas após a ingestão do mesmo e quando a sua retirada leva à melhora dos sintomas, se não for assim, esse alimento não é o culpado.

Dietas desequilibradas ou alimentos alergênicos, como o glúten, que encontra-se praticamente em todos os produtos à base de farinha de trigo (isso inclui pães, bolos, massas, wraps, absolutamente tudo que adoramos), assim como amendoim e o excesso de açúcar, seja ele o açúcar comum ou até mesmo o aspartame, podem também ser os responsáveis.

O jejum, os alimentos que contêm cafeína, as bebidas alcoólicas, as frutas cítricas, os derivados de leite, embutidos, ovos e até mesmo o delicioso sorvete e o chocolate são os mais citados como desencadeadores de crises, mas por quê? Nitratos e nitritos, aminas, cafeína e o álcool são as substâncias encontradas nesses alimentos e podem ser os vilões da história! Lembrando que os alimentos que desencadeiam crises em uns, podem não desencadear crises em outros. Vai entender...

Eu mesmo sou amante do café, tomo pelo menos quatro cafés expressos ao dia e não lembro quando foi minha queixa de dor de cabeça, abençoado não?

O que explica as crises de enxaqueca é que algumas classes de aminas, encontradas nos alimentos  como as catecolaminas e as histaminas, possuem importantes funções metabólicas no organismo humano, em particular no sistema nervoso e no controle da pressão sanguínea. As catecolaminas, como a tiramina, causam um aumento da pressão sanguínea, devido à constrição do sistema vascular e, além disso, aumentam o ritmo cardíaco e a força de contração do coração. Já a histamina diminui a pressão arterial, fazendo com que ocorra uma vasodilatação.

Os nitratos, assim como nitritos são adicionados às carnes com a função de inibir o crescimento de bactérias, bem como formar o pigmento rosa e vermelho típico, que além de causarem as dores de cabeça, possuem um alto potencial carcinogênico. Num estudo realizado por J. Egger e publicado na revista científica Lancet com o título: “A enxaqueca é uma alergia alimentar?”, o consumo de carnes curadas desencadeou crises de enxaqueca em quatro de 88 crianças que sofriam de crises.

Os nitritos são considerados desencadeadores, pois liberam o óxido nítrico que atua sobre o endotélio dos vasos sanguíneos, resultando na sua vasodilatação, sendo este o mecanismo responsável por ocasionar a crise de enxaqueca dos nitritos.

Resumindo, quanto mais químicos, mais vasodilatação e consequentemente mais dor de cabeça.

Aí você deve estar pensando: OK! As carnes, embutidos e glutén até entendo o porquê, mas o sorvete? Se for um sorvete de frutas?

Você pode escolher um sorvete de frutas livre de qualquer substância tóxica, a questão daí é o gelo, pois a presença de estímulos frios na boca ou na garganta, provocam um reflexo de constrição dos vasos sanguíneos ao redor da cabeça e em indivíduos susceptíveis isso pode resultar no início de uma crise de enxaqueca.

Outra causa da enxaqueca pode ser o acúmulo de metais pesados no organismo, que são metais quimicamente reativos e bio-acumulativos, ou seja, o organismo não é capaz de eliminá-los. Os seres vivos necessitam de pequenas quantidades de alguns desses metais, incluindo cobalto, cobre, manganês, molibdênio, vanádio, estrôncio, e zinco, para a realização de funções vitais no organismo, mas em níveis excessivos desses podem ser extremamente tóxicos, como já citei em outro artigo de minha coluna.

Outros metais pesados como o mercúrio, chumbo e cádmio não possuem nenhuma função dentro do organismo e a sua acumulação pode provocar graves doenças principalmente do sistema gastrointestinal, neurológico, cardiovascular e urológico e é claro resultam como consequência principal a enxaqueca. 

Nosso organismo tem capacidade de metabolizar mais de 200.000 substratos, incluindo xenobióticos (substâncias estranhas). Porém um desequilíbrio na microbiota intestinal interfere na capacidade de eliminá-las, por isso a necessidade de uma dieta rica em fibras e variada nutricionalmente.

TERAPIA DOS ALIMENTOS E DO EXERCÍCIO FÍSICO

Outras medidas que ajudam o corpo a eliminar os metais pesados naturalmente são alimentos com poderes terapêuticos, como coentro e chlorella (um tipo de alga, vendido em cápsulas ou pó), além da prática de exercícios físicos regulares que promovam o suor ou sessões de sauna, se preferir.

Mas quando pensamos em uma dieta pobre ou com ausência de micronutrientes como desencadeadora de cefaléia, devemos pensar principalmente nas vitaminas do complexo B, como B1 (tiamina), B2 (riboflavina), B3 (niacina), B5 (ácido pantotênico), B6 (piridoxina), B7 (biotina),B9 (ácido fólico) e B12 (cianocobalamina) que estão presentes em alimentos como peixes, espinafre, fígado, castanhas, abacate e vegetais verdes escuros como couve, assim como o mineral Magnésio, essencial para muitos processos do corpo humano e que pode ser encontrados na couve, espinafre, figo seco, amêndoas, feijão preto, castanha de caju, coentro, alcachofra, sementes de abóbora.

A Coenzima Q10, semelhante à Riboflavina, também potencializa o metabolismo energético em nível celular e sua suplementação diária com dosagem que varia de acordo com cada indivíduo mostrou-se eficaz no controle de crises.

Acha que sua alimentação está ok e quer tentar algo diferente? O método comprovado é a técnica de Dry-Needling, também chamado de agulhamento à seco, a técnica promete alívio quase que imediato das dores por meio da inserção de agulhas de acupuntura sistêmica para desativar fibras musculares tensas que geram dor. Apesar das evidências serem menos abundantes do que no caso das medicações, uma série de estudos com rigorosa metodologia tem revelado sua eficácia terapêutica na enxaqueca.
Agora vamos entrar no campo da fisiologia humana, pois embora os fatores que desencadeiam as crises de dor cabeça ainda não sejam completamente esclarecidos, sabe-se que os principais mecanismos fisiopatológicos envolvidos são a ativação do sistema trigemeovascular, a vasodilatação induzida por óxido nítrico e serotonina, a inflamação neurogênica, os distúrbios do metabolismo energético e a predisposição genética.

O sistema trigemeovascular é composto por três tipos de fibras nervosas, na parede dos vasos cranianos que contêm substâncias neurotransmissoras vasoativas. Estas interagem com substâncias vasorreguladoras presentes no sangue e/ou no vaso sanguíneo, que são liberadas pelo endotélio e contribuem para a regulação do tono vascular. Além disso, são liberadas outras substâncias neurotransmissoras, vasodilatadoras, as quais, ao interagirem com outras substâncias liberadas pelo próprio vaso e pelas fibras nervosas, acabam desencadeando o processo de inflamação neurogênica. 
O estilo de vida, assim como o equilíbrio hormonal, prática de exercícios físicos e um sono reparador podem influenciar no surgimento e na intensidade das enxaquecas já que participam diretamente do equilíbrio das substancias químicas do corpo que agem diretamente no cérebro, como a melatonina, serotonina, dopamina e ainda hormônios importantes como estradiol, cortisol, hormônio do crescimento, testosterona e progesterona. Também não podemos deixar de fora um hábito péssimo que não relatei acima, o tabagismo, que dispensa comentários.

Enfim, todo componente químico influencia na incidência e na intensidade das dores de cabeça, componentes tóxicos resultam em dores tóxicas! A enxaqueca não é a uma doença em si, porém é um alerta de que algo não está bem no organismo!

Reveja seus hábitos diários, pratique meditação, desintoxique-se de pensamentos negativos  e teste  sua alimentação, cada indivíduo é único e sabe onde a dor aperta!

E tentamos ser mais positivos, nem tudo na que vem da enxaqueca é ruim, grandes ideias por exemplo trazem sempre  grandes dores de cabeça!


Todas as quartas-feiras temos conteúdos exclusivos sobre métodos naturais para cuidarmos da saúde e do corpo... Daquele jeito que nós amamos!

Instagram: @Tejard

Contato: (11) 3063-1333

ACESSEM OUTROS TEXTOS QUE JÁ FORAM AO AR:

+++ Regra simples de educação: A criança que se alimenta bem hoje é o adulto com saúde amanhã!

+++ A idade chega para todos! 10 regras básicas para desacelerar o envelhecimento

Último acesso: 30 Nov 2021 - 12:42:22 (1044800).