O poder destrutivo da reclamação: saiba o que acontece com pessoas que reclamam demais

A ciência já mostrou como o nosso cérebro reage às reclamações e como este hábito pode te deixar mais perto do fracasso

Bons Fluidos Publicado terça 13 outubro, 2020

A ciência já mostrou como o nosso cérebro reage às reclamações e como este hábito pode te deixar mais perto do fracasso
Conheça os efeitos destrutivos causados pela reclamação - Pexels

Utilizamos a linguagem verbal para transmitir nossos sentimentos, no entanto, diante de algumas situações desconfortáveis, nos vemos utilizando um diálogo não tão adequado e expressando nossas turbulências emocionais com frases destrutivas. 

Reclamar pode parecer uma maneira de colocar para fora as insatisfações, no entanto, assim como as afirmações positivas influenciam em nossa saúde mental e até na tomada de decisões, as frases de insatisfação nos atraem para mais perto do fracasso. 

+ VEJA TAMBÉM: As palavas têm poder: 12 afirmações positivas para dizer a si mesmo quando sentir medo, raiva e tristeza

O cérebro está continuamente processando e interpretando informações, construindo redes e vias neurais. Quando repetimos um pensamento ou ação com frequência suficiente, a rede neural se torna reforçada e, eventualmente, se torna um hábito, assim como aprender a andar - no começo foi difícil, depois com a prática foi melhorando, até se tornar uma habilidade inconsciente.

+ VEJA TAMBÉM: Afirmações positivas: fale pelo menos uma destas 15 frases a você mesmo todas as manhãs

Deixar de reclamar pode ser uma tarefa desafiadora para algumas pessoas que adquiriram o hábito de reclamar até pode pequenas coisas. No entanto, forçar-se a relevar algumas insatisfações pode fazer com que nosso cérebro dê mais enfase para os sentimentos bons que experimentamos. 

Por isso, antes de reclamar, reflita e pense se você está dramatizando e estendendo uma situação que já aconteceu. Perceba se as palavras que você está pensando em dizer são úteis ou farão com que o problema seja resolvido. 
 

Último acesso: 01 Dec 2020 - 11:05:32 (1043603).