espiritualidade   / Previsões Maias

De acordo com o Calendário Maia, o fim do mundo estaria programado para 21 de junho de 2020, afirma estudioso

O cientista Paolo Tagaloguin mostrou porquê estava equivocada a visão de que o mundo veria o apocalipse em 2012

Redação Bons Fluidos Publicado terça 16 junho, 2020

O cientista Paolo Tagaloguin mostrou porquê estava equivocada a visão de que o mundo veria o apocalipse em 2012
Cientista descobre que, de acordo com Calendário Maia, o fim do mundo estaria muito mais próximo do que todos imaginam - Pixabay

Em 2012, a ideia de que o mundo poderia acabar de forma repentina amedrontou muita gente.

De acordo com intérpretes do Calendário Maia, o apocalipse estava previsto para o dia 21 de dezembro daquele ano, mas a data passou e nada aconteceu.

Após 8 anos, o cientista Paolo Tagaloguin explicou, com base em estudos próprios, porquê nada aconteceu em 2012. Basicamente, porque o fim do mundo estaria, na verdade, previsto para dia 21 de junho de 2020 -- o próximo domingo, e a data não havia sido levantada até o momento por conta de um erro na leitura do calendário.

SERÁ?

Com o portal GreenMe pontuou, é fato que a nova previsão foi feita justo no momento em que o cenário mundial não está muito promissor. Tivemos a pandemia provocada pela Covid-19, inúmeros conflitos políticos e civis em escala mundial, aquecimento global, incêndios florestais, extinção de espécies, erupções vulcânicas, terremotos e outras catástrofes (muitas delas, infelizmente, induzidas pela ação do homem).

O especialista explicou no Twitter sua linha de raciocínio:

“Estamos tecnicamente em 2012. O número de dias perdidos em um ano devido à mudança para o calendário gregoriano é de 11 dias. Por 268 anos, usando o calendário gregoriano (1752-2020) vezes 11 dias = 2.948 dias. 2.948 dias / 365 dias (por ano) = 8 anos ”…

Paolo Tagaloguin

Paolo Tagaloguin

"21 de junho de 2020, na verdade, corresponde a 21 de dezembro de 2012 de acordo com o Calendário Maia", constatou ele.

Paolo Tagaloguin

 

TEORIA CONTESTADA

Apesar de Paolo Tangologuin ter explicado sua visão, a revista americana Forbes logo contestou a teoria de que houve um erro no Calendário Maia e ainda acrescentou que a própria interpretação de que os maias previram o fim do mundo está equivocada.

“Há muitas razões para acreditar que os maias nunca estavam realmente prevendo o fim do mundo, mas sim que o ponto de corte no calendário deles era exatamente isso – o fim de um ciclo. Assim como nossos pais jogavam fora o calendário antigo todo mês de dezembro. Este não foi um sinal de nada mais do que o início de um novo ano e uma reciclagem do nosso sistema de cronometragem”, escreveu Eric Mack, colaborador do site Forbes, em conteúdos de ciência, tecnologia e meio ambiente.

Além disso, com o auxílio do astrônomo Phil Plait, Mack ainda comprovou que Paolo Tagaloguin não chegou ao resultado correto quando fez os cálculos demonstrados nas redes sociais.

“Aqui está a coisa: Isso está errado. O calendário gregoriano não perde 11 dias por ano! Basicamente, o calendário juliano, que foi amplamente usado há muito tempo, não foi responsável por anos bissextos, muito bem, então há centenas de anos os países começaram a mudar para o calendário gregoriano, que faz um trabalho melhor (embora seja um pouco complicado ). Quando o fizeram, o calendário teve que avançar alguns dias para compensar os dias perdidos – geralmente cerca de 10 ou 11 dias – mas isso foi feito apenas uma vez. Nem todo ano. Portanto, a alegação de que, de alguma forma, foram ignorados 8 anos está errada.”

CONCLUSÃO

Se o mundo vai acabar ou não em uma data específica, não conseguiremos saber até que esse dia chegue -- ou não. Cada vertente com a sua crença, né?

Mas aqui deixamos um convite para uma importante reflexão: "se o mundo acabasse hoje, você estaria com a consciência tranquila?"

Se a resposta for NÃO, então você ainda tem trabalho a fazer. Que tal solucionar essas questões o mais rápido possível?

Último acesso: 30 Sep 2020 - 00:57:20 (1042904).