inspiracao   / Esperança

Após 50 anos de sofrimento, elefanta é transferida para Santuário de Elefantes no Mato Grosso em meio à pandemia

A divisa em Foz do Iguaçu foi reaberta, temporariamente, para que a elefanta Mara, que estava em Buenos Aires, fosse transportada

Redação Bons Fluidos Publicado terça 12 maio, 2020

A divisa em Foz do Iguaçu foi reaberta, temporariamente, para que a elefanta Mara, que estava em Buenos Aires, fosse transportada
Em meio à crise do coronavírus, elefanta Mara é conduzida a santuário de elefantes - Divulgação/ Tomás Francisco Cuesta

A humanidade não tem vivido muitos dias de alegria nos últimos tempos, desde que a pandemia do Coronavírus praticamente tomou conta do planeta Terra, mas essa história, certamente, desperta um pingo de esperança em muita gente.

Após 25 anos em circos e 25 anos em zoólogicos, a elefanta Mara finalmente foi transportada para o Santuário de Elefantes que fica na Chapada dos Guimarães, no Mato Grosso.

VIAGEM DA ARGENTINA PARA O BRASIL

A fronteira entre os dois países estava fechada desde 27 de março, por conta do novo coronavírus, mas nesta segunda-feira, 11, após 49 dias, a divisa de Foz do Iguaçu foi aberta, temporariamente, para dar passagem à elefanta.

Com escolta da Polícia Rodoviária Federal, o animal foi transferido de um Ecoparque de Buenos Aires e deve chegar no destino final na quarta-feira.

HISTÓRIA DE SOFRIMENTO

A vida de Mara, a elefanta, não foi sempre cheia de esperança.

Ela nasceu em um cativeiro, na Índia, e foi transportada para a América do Sul, onde viveu a primeira parte da vida como atração de circo no Uruguai e na Argentina.

Alguns anos depois, em 1995, ela foi levada para o antigo zoológio na capital da Argentina, que hoje é um ecoparque.

No Instagram, membros do Santuário localizado no Brasil escreveram uma mensagem emocionante sobre a chegada da nova companheira, que sofreu por 50 anos, antes mesmo dela sair do antigo habitát: "É incrível que sua transferência esteja ocorrendo agora - foi preciso muito trabalho e empenho das equipes no Brasil e na Argentina e, também, graças à imensa cooperação de todas as autoridades junto da equipe do Ecoparque. Sabemos que no momento a situação não é ideal mas, ao mesmo tempo, é melhor para Mara que venha o mais rápido possível. Gostaríamos de agradecer a todos que trabalharam incansavelmente para que isso se tornasse realidade. Nos sentimos ansiosos, esperançosos e gostaríamos de dividir o que podemos: Mara está, neste momento, vindo do Ecoparque com sua equipe. A equipe de Mara, do lado argentino da fronteira, inclui dois de seus tratadores, membros da equipe veterinária e algumas outras pessoas. Conhecemos e acreditamos na equipe e o mais importante, a equipe conhece Mara e ela os conhece. A fronteira entre Brasil e Argentina está fechada para o tráfego humano. Como resultado, nossa equipe encontrará Mara na fronteira".

SOBRE A VIAGEM

O caminho conta com 2.000 km e o animal está sendo transportado por um caminhão em uma caixa feita, especialmente, para essa transferência. 

Mara pesa cerca de 5,5 mil quilos, tem 5 metros de comprimento, 2 metros de largura  e3 metros de altura, e é alimentado, por dia, com 1.000 kg de vegetais, forragens e cana-de-açúcar.

Último acesso: 29 Sep 2020 - 23:08:00 (1042709).