Publicidade

Eclipse e maior superlua do ano ocorrem essa semana; saiba como assistir à ‘lua de flores’

Maior superlua de 2021 acontecerá esta semana

Veja como assistir a maior superlua do ano e ao eclipso total previsto para esta semana – Getty Images

Esta última semana do mês de maio promete emoções para os amantes de astronomia, que terão o privilégio de assistir à maior superlua do ano e a um esclipse lunar total. 

Publicidade

Segundo informações da Agência Espacial Norte-americana (Nasa), parte do mundo poderá assistir aos dois fenômenos simultaneamente. De acordo com astrônomos, a lua ganhará tonalidade vermelha porque a Lua passará completamente pela sombra da Terra e ficará mais escura em um tom de avermelhado. 

+ VEJA TAMBÉM: Superlua Rosa: saiba o significado místico do fenômeno que acontecerá nesta terça-feira

A superlua e o eclipse estarão mais facilmente visíveis no leste da Austrália entre a terça-feira, 25, e terça-feira, 26, e no Brasil o eclipse poderá ser visto parcialmente por volta das 6h45 (horário de Brasília) da terça no estado do Acre. 

No entanto, se o local onde você estiver não for o melhor local para assistir ao eclipse a olho nu, será possível acompanhá-lo ao vivo virtualmente no site da Nasa, clicando aqui. Já a superlua poderá ser vista de todo o planeta terra, dependendo apenas das condições climáticas, portanto, procure uma área com poucas nuvens na terça-feira a noite para assistir. 

Publicidade

+ VEJA TAMBÉM: Primeira ‘Superlua’ de 2021 chama a atenção no céu de Brasília; confira imagens de internautas

Lua de Flores

A superlua desta semana foi batizada pelo nome “Lua de Flores” por tribos indígenas que habitaram os Estados Unidos e o motivo é porque ela ocorre na primavera no Hemisfério Norte, período em que nascem flores na região. 

Publicidade

Para as tribos ojíbuas — povo que habitava a região oeste da América do Norte — a Lua de Flores simboliza a cura devido às várias plantas com flores da primavera com propriedades medicinais. Muitas destas flores que nasciam na estação eram utilizadas por indígenas como remédio natural para tratar doenças. 

 

Publicidade