inspiracao   / Arqueologia

Pesquisadores encontram fóssil de 280 milhões de anos durante troca de pneu furado no Piauí

Estima-se que esse réptil tenha vivido no Período Permiano da Era Paleozoica, antes mesmo dos dinossauros

REDAÇÃO BONS FLUIDOS Publicado terça 19 janeiro, 2021

Estima-se que esse réptil tenha vivido no Período Permiano da Era Paleozoica, antes mesmo dos dinossauros
Pesquisadores encontram fóssil de 280 milhões de anos durante troca de pneu furado no Piauí - Reprodução/G1 - Foto: Juan Cisneros/Arquivo pessoal

Já imaginou encontrar algo milenar durante a troca de um pneu no meio da estrada?

Foi exatamente isso que aconteceu com a equipe de pesquisadores da Universidade Federal do Piauí (UFPI), que durante uma expedição encontrou por acaso o fóssil de um réptil que habitou as terras brasileiras antes mesmo do surgimento dos dinossauros, há cerca de 280 milhões de anos.

+ VEJA: Tratamento de apenas 1 injeção mensal contra o HIV é aprovado na Europa; entenda

A descoberta inusitada ocorreu, na verdade, no ano de 2016 em uma jornada científica entre as cidades de Palmeirais e Nazária, localizadas a cerca de 40 km de Teresina, capital do estado. Durante o trajeto, o pneu do carro em que parte dos pesquisadores estavam, felizmente, furou.

“Quando o pneu furou, éramos cinco homens. Quatro ficaram trocando o pneu, enquanto um continuou andando pelo local, resultando na descoberta desse fóssil. Se não tivesse acontecido isso, provavelmente não teríamos feito essa descoberta, a verdade é essa”, contou Juan Cisneros, professor e paleontólogo que participou da expedição, ao portal G1.

O registro da descoberta, porém, só foi concluído há uma semana, mais especificamente no dia 12 de janeiro de 2021, cinco anos após o achado. A "demora" para o resultado da pesquisa se dá pela complexidade do trabalho científico.

+ VEJA: Febre na internet e polêmica entre estudiosos, o "ASMR" realmente funciona? Neurocientista responde

O novo réptil recebeu um nome: Karutia fortunata. “Karutia em língua timbira significa pele enrugada e com caroços. Escolhemos esse nome porque os ossos do crânio do animal estão cobertos por muitas rugas naturais. Fortunata refere-se ao fato de que foi uma descoberta afortunada”, explicou Cisneros. O animal que habitava a região do Rio Poti, em Teresina, se parecia com um calango e se alimentava de insetos. Estima-se que ele tenha vivido no Período Permiano da Era Paleozoica, antes mesmo dos dinossauros, há 280 milhões de anos.

De acordo com o portal G!, esta pesquisa da UFPI foi feita em conjunto com uma equipe internacional de paleontólogos das seguintes instituições: Museu de Ciências Naturais da Carolina do Norte (EUA), Museu Field de Chicago (EUA), Museu Iziko (África do Sul), Universidade de Buenos Aires (Argentina), Universidade Humboldt (Alemanha), Museu de História Natural (Reino Unido).

Último acesso: 24 Sep 2021 - 00:37:57 (1044193).