bem-estar   / Sem mais dúvidas

Endometriose tem cura? É genética? Especialista responde mitos e verdades sobre a doença

No mês da doença, Dr. Domingos Mantelli, ginecologista e obstetra, esclareceu as perguntas mais feitas sobre o assunto

Redação Bons Fluidos Publicado sexta 20 março, 2020

No mês da doença, Dr. Domingos Mantelli, ginecologista e obstetra, esclareceu as perguntas mais feitas sobre o assunto
Mitos e verdades Março amarelo: Mitos e verdades sobre a endometriose a endometriose - Pixabay

A endometriose é uma doença complicada que afeta cerca de 10% das pessoas com útero e em idade fértil.

O Endométrio é o tecido que envolve a parte interna do útero e que o deixa preparado para receber a gestação quando há a fecundação. Quando não há a fecundação do óvulo durante o período fértil da mulher, não ocorre a gravidez. Desta maneira, o corpo elimina, pela menstruação, esse endométrio que estava preparado e aumentado de tamanho para receber o embrião.

Quando essa descamação ocorre de maneira errada, o tecido pode subir ao invés de descer e se alojar perto das trompas, útero e ovários, causando inúmeros problemas para as mulheres como fortes cólicas no período menstrual, dores durante a relação sexual e dificuldade para engravidar.

Para sanar todas as dúvidas sobre o assunto, Dr. Domingos Mantelli, ginecologista e obstetra, esclareceu alguns mitos e verdades sobre a doença!

Confira!

A endometriose é uma cólica menstrual forte?

Mito. A cólica é um dos sintomas da endometriose, muitas mulheres têm cólicas intensas antes, durante e depois da menstruação. Além das cólicas, a endometriose pode causar dor para urinar, dor pélvica crônica, dor nas costas, nas pernas e nos ombros. 

1) A endometriose é uma doença genética?

Talvez. Se a mãe ou a irmã de uma mulher possui a doença, ela tem o risco de desenvolvê-la também.

2) Não é possível reverter a doença?

Mito. A endometriose não tem cura, mas pode ser superada com tratamento clínico, controlando os sintomas com medicamentos, ou cirúrgico, removendo as lesões profundas.

3) O uso prolongado de anticoncepcionais pode “mascarar” a doença?

Verdade. Quando contínuo, o uso de pílula anticoncepcional pode encobrir a existência da endometriose. Afinal, anticoncepcionais muitas vezes são indicados como tratamento e controle dos sintomas.


Dr. Domingos Mantelli, ginecologista e obstetra - autor do livro “Gestação: mitos e verdades sob o olhar do obstetra”. Formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de Santo Amaro (UNISA) e residência médica na área de Ginecologia e Obstetrícia pela mesma instituição. Dr. Domingos Mantelli tem pós-graduação em Ultrassonografia Ginecológica e Obstétrica, e em Medicina Legal e Perícias Médicas.

Último acesso: 27 Sep 2020 - 22:18:20 (1042434).