Que calor! Setembro foi considerado o mês mais quente da história, segundo meteorologistas europeus

Na capital paulista, por exemplo, segundo dados do Inment, setembro ficou marcado como o mês mais quente da história

REDAÇÃO BONS FLUIDOS Publicado quarta 7 outubro, 2020

Na capital paulista, por exemplo, segundo dados do Inment, setembro ficou marcado como o mês mais quente da história
Que calor! Setembro foi considerado o mês mais quente da história, segundo meteorologistas europeus - Pexels

A primavera chegou com tudo aqui no Hemisfério Sul e nos surpreendeu com essa intensa onda de calor.

Mas, aparentemente, não foi apenas nesta região do mundo que as altas temperaturas se sobressaíram. De acordo com a C3S, ou Copernicus Climate Change, traduzindo para o português 'Serviço de Mudança Climática do Copernicus', centro europeu de pesquisas meteorológicas, o mês de setembro de 2020 foi o mais quente da história em todo o planeta Terra.

+ VEJA: Dupla de mulheres ganha prêmio Nobel de química após pesquisa sobre ''tesoura moleculares''

Considerando que a C3S analisou temperaturas do mundo todo, o que o centro de pesquisar constatou foi que o calor deve seguir intenso na maior parte das regiões do planeta pelo resto do ano. Além disso, ultrapassando o título mensal, 2020 pode vir a ser o ano mais quente da história já registrado por cientistas, ultrapassando as altas temperaturas de 2016.

Vale dizer que, o calor intenso não denota algo positivo, mesmo para você que ama as altas temperaturas. Ao nível global, o C3S apontou que esta onda de calor contribuiu para incêndios em regiões como Sibéria, localizada na Rússia, e Califórnia, nos Estados Unidos. Além disso, foi constatado em setembro o maior derretimento de gelo marinho no oceano Ártico deste o ano de 2012.

+ VEJA: O planeta Terra está nas suas mãos! 7 dicas para descartar os resíduos de forma sustentável

Aqui no Brasil, a Copernicus Climate Change afirmou que a onda de calor teve, sim, influência nas queimadas que vêm ocorrendo na Amazônia e no Pantanal, porém, não podemos utilizar essa alegação para justificar a irresponsabilidade dos crimes ambientais. Os estados do Rio de Janeiro, Paraná e São Paulo também quebraram recordes de calor. Na capital paulista, por exemplo, segundo dados do Inment (Instituto Nacional de Meteorologia), setembro de 2020 ficou marcado como o mês mais quente da história.

Último acesso: 01 Mar 2021 - 07:14:50 (1043573).