Resultado de estudo sobre café contradiz crença popular e aponta mudança na massa cinzenta do cérebro

Estudo apontou que ingerir café diariamente altera estrutura do cérebro e não interfere no sono como muitos acreditam

Bons Fluidos Publicado sexta 26 fevereiro, 2021

Estudo apontou que ingerir café diariamente altera estrutura do cérebro e não interfere no sono como muitos acreditam
Estudo realizado na suíça mostrou que o café pode não influenciar no sono - Pixabay

Um estudo conduzido por cientistas da Universidade de Basileia, na Suíça, e publicado na revista científica Cerebral Cortex mostrou que a ingestão diária de café pode promover mudanças significativas na estrutura cerebral e não tem efeitos tão notórios no sono, como muitos acreditam. 

Segundo os pesquisadores, ingerir uma xícara de café por dia pode diminuir a massa cinzenta do cérebro por um período de tempo, no entanto, a mesma quantidade não tem efeitos tão significativos na qualidade do sono. A crença popular prega que ingerir uma xícara de café é o suficiente para atrapalhar o sono. 

+ VEJA TAMBÉM: Todo apaixonado por café deve saber estes 7 fatos científicos curiosos sobre a bebida mais amada do mundo

Massa cinzenta são partes do sistema nervoso central que estão envolvidas em áreas como a memória, a fala e o controle dos músculos. Embora pensemos que ele seja branco ou cinza, esta parte do cérebro tem tom rosado em um indivíduo saudável. 

Um dos autores do estudo, a Dra. Carolin Reichert, do Centro de Cronologia de Basileia, disse em comunicado que os resultados da pesquisa não significam necessariamente que "o consumo de cafeína tenha um impacto negativo no cérebro". 

Como foi realizado o estudo

Para chegar nos resultados obtidos, os pesquisadores  recrutaram 20 voluntários habituados a beber café todos os dias. 

+ VEJA TAMBÉM: Café da manhã em 0 minutos: 5 receitas mega fáceis de aveia dormida para preparar na noite anterior

Durante 10 dias, estes voluntários não ingeriram nenhum alimento ou bebida cafeinada e foram instruídos a tomar três cápsulas de cafeína de 150 miligramas. 

O mesmo esquema foi repetido novamente por mais dez dias, no entanto, os voluntários receberam placebo no lugar da cafeína. 

A pesquisa acompanhou a atividade cerebral dos voluntários durante os 20 dias de estudo enquanto e ao final das duas etapas, eles avaliaram imagens de ressonância magnética funcional (fMRI). 

Após o uso regular de cafeína, a pesquisa identificou que os volumes de massa cinzenta diminuíram,  mas aumentaram após dez dias de abstinência.

Último acesso: 16 Apr 2021 - 11:26:32 (1044446).