Espinhas: Quem nunca?

Raro quem nunca sofreu com acne, ainda mais no período da adolescência, nas alterações hormonais. Eu fui um desses sorteados que sofreu e acho que foi aí que comecei a despertar meu instinto farmacêutico

espinha
A acne é causada por uma obstrução dos folículos pilosos e aumento da produção de sebo pelas glândulas sebáceas, levando a um acúmulo de óleo e de células mortas – Canva Pro/Kzenon

Raro quem nunca sofreu com acne, ainda mais no período da adolescência, nas alterações hormonais. Eu fui um desses sorteados que sofreu e acho que foi aí que comecei a despertar meu instinto farmacêutico, pois inventava umas fórmulas de cremes de mistura de pasta de dente com borra de café, mucilagem de babosa, chá de camomila com hortelã, borra de café, sem falar nas misturas de chás de tudo aquilo que eu ouvia que poderia dar certo, o fato é que nunca deu, na maioria das vezes só piorava, mas o importante era manter a fé.

Publicidade

A acne, mais conhecida como espinha, é uma inflamação da pele que acontece quando o folículo piloso fica obstruído, acumulando óleo ou células mortas da pele, isso favorece o crescimento de bactérias na base do folículo e o surgimento da acne no rosto, testa, peito, parte superior das costas ou ombros. Daí o porquê não devemos sob hipótese nenhuma enfiar os dedos na tentativa de espremer a maldita, os seus dedinhos só vão levar mais bactérias contaminando ainda mais, podendo aumentar muito mais o problema.

Possíveis causas

A acne é causada por uma obstrução dos folículos pilosos e aumento da produção de sebo pelas glândulas sebáceas, levando a um acúmulo de óleo e de células mortas na base do folículo, provocando sua inflamação e favorecendo o crescimento de bactérias. Alguns fatores podem contribuir para o desenvolvimento da acne, como:

  • História familiar de acne;
  • Aumento dos níveis de testosterona na adolescência;
  • Alterações hormonais durante a gravidez ou período menstrual;
  • Síndrome dos ovários policísticos;
  • Uso de remédios, como corticoides, pílulas anticoncepcionais, antidepressivos ou antiepilépticos;
  • Hábito de fumar;
  • Estresse;
  • Uso de cosméticos oleosos que obstruem os poros da pele;
  • Alimentação rica em frituras, carnes gordurosas ou excesso de açúcar.

Além disso, a limpeza inadequada da pele ou a exposição a ambientes poluídos, podem levar ao acúmulo de oleosidade na pele e causar obstrução dos folículos pilosos, aumentando o risco de desenvolvimento da acne.

Como é feito o tratamento

O tratamento da acne deve ser orientado pelo dermatologista, que pode indicar o uso de remédios para controlar a produção excessiva de óleo pela pele, evitar o desenvolvimento de bactérias ou reduzir a inflamação da pele.

Publicidade

O tratamento pode variar de acordo com a idade, tipo e gravidade da acne, sendo o mais comum o uso de antibióticos e de retinoides, como a isotretinoína na forma de comprimidos, ou adapaleno ou tretinoína para uso tópico. Radiofrequência, fototerapia, laser, luz pulsada, peeling químico ou aplicação de corticóides diretamente na acne com nódulos ou cistos também podem ser indicados.

Hábitos simples que fazem a diferença

A limpeza correta da pele permite reduzir a oleosidade da pele, além de eliminar o excesso de bactérias. Além disso, durante o tratamento é importante beber bastante água para manter a pele hidratada e fazer uma alimentação equilibrada, com cereais integrais, frutas e vegetais frescos, que ajudam a diminuir a inflamação da pele.

Existem algumas dicas que contribuem para desinflamar a pele e até mesmo a secar a acne mais rápido, mas o segredo para um rosto livre de espinhas é o cuidado diário, seja na limpeza ou seja na alimentação. Vou citar alguns métodos bem utilizados, mas nem por isso corretos!

Publicidade

Aplicação de gelo

O tratamento frio para acne não é nenhuma novidade: diversos procedimentos dermatológicos, realizados em consultório, utilizam a crioterapia como base que é um congelamento para interromper uma inflamação. Basicamente, esse procedimento consiste na aplicação de baixas temperaturas em áreas inflamadas, seja um músculo lesionado ou um problema como a acne, reduzindo a inflamação e estimulando uma melhora mais rápida da lesão.

Obviamente a crioterapia é feita por um profissional, que utiliza os equipamentos certos, e sabe como controlar a temperatura e agir direto no “alvo”, de forma alguma aplique gelo sobre as espinhas em casa, isso pode provocar efeitos indesejados, como dor, queimaduras e até manchas no local.

Publicidade

Óleo de melaleuca (tea tree)

A melaleuca, também chamada de árvore do chá, tem propriedades antimicrobianas, anti-inflamatórias e antioxidantes.

Diversos estudos mostram que o uso tópico do óleo ajuda a melhorar as lesões inflamatórias, além de ser uma solução com raros efeitos colaterais. Outros benefícios são a tolerabilidade (menor risco de causar irritação) e o custo-benefício.

Publicidade

Leia mais sobre o melaleuca aqui:

https://www.bonsfluidos.com.br/coluna-jamar-tejada/oleo-de-melaleuca-ou-tea-tree-10-aplicacoes-poderosas-para-este-antisseptico-natural.phtml

Máscara de argila

Outra forma bem comum é através da aplicação de máscara de argila, que ajuda no tratamento da acne e até das manchas.

Basta utilizar a argila como uma máscara facial, misturando o pó à água quente.  Além de ajudar a “secar” as lesões, os minerais de argila contribuem para o controle da oleosidade, melhora da hidratação e da textura.

Aloe vera

A aloe vera, a velha ‘babosa’, talvez seja a opção mais popular e com razão, pois a planta possui efeitos antibacterianos, anti-inflamatórios e auxilia na cicatrização de feridas, ou seja super eficaz para o tratamento da acne. Ela também é um ativo antioxidante e evita que a acne cause manchas na pele.

Mas fico receoso como será preparada essa aloe vera em casa, por isso procure dermocosméticos com aloe vera na rotina, como sabonetes, cremes ou géis ou compre em farmácia de manipulação o extrato glicólico, com certeza a segurança no tratamento será melhor.

Máscara de mel e canela

Se você já ouviu falar das propriedades poderosas do mel e da canela. O mel possui ação antimicrobiana, atuando na inibição de micróbios responsáveis ​​por infecções, incluindo a Propionibacterium acnes, bactéria que contribui para a acne. Além disso, diversos estudos mostram que o mel consegue modular o sistema imunológico da pele e ajuda na cicatrização de queimaduras e feridas.

Já a canela possui efeito antibacteriano, por isso é comum encontrá-la nas formulações para o tratamento da acne.

Por essa razão, a aplicação de produtos como máscaras de mel e canela, pode ajudar a melhorar as espinhas.

Ácido salicílico

O ácido salicílico é uma substância muito recomendada no combate à acne. Isso porque o ativo age como um esfoliante químico estimulando a renovação celular, possui ação antimicrobiana, e ajuda a inibir o crescimento das bactérias que causam a acne e outros problemas cutâneos. O ácido também atua no controle da produção de sebo, um passo importante para evitar o aparecimento de cravos e espinhas, e ajuda a reduzir o processo inflamatório da acne ativa.

Água de hamamélis

A água de hamamélis possui propriedades adstringentes, o que pode ser bastante útil para quem tem pele oleosa e acneica, pois auxilia no controle da oleosidade.

Hábitos e tratamentos importantes evitar espinhas no rosto

– Use produtos específicos com ativos que ajudam a regular a produção de sebo;

– Prefira produtos não comedogênicos para reduzir as chances de que o cosmético provoque cravos e espinhas;

– Opte por dermocosméticos na forma de sérum, que possuem uma textura mais leve e que são bem tolerados por peles oleosas e acneicas;

– Mantenha a pele higienizada para retirar a oleosidade, células mortas e resíduos que podem obstruir os poros e causar acne.

Existe suplementação?

Apesar de serem os suplementos mais amplamente utilizados no tratamento da acne, essas dicas não substituem a indicação e análise de seu dermatologista. Consulte seu médico!

– A Vitamina A é importante por seu papel no controle da secreção excessiva pelas glândulas sebáceas. Ajuda a equilibrar os níveis de hormônios relacionados com a acne.

Auxilia na regulação do crescimento das células epiteliais e manutenção da integridade das mesmas, sendo que parte do desenvolvimento da epiderme é controlado por essa vitamina. A deficiência prolongada causa comedões acnéicos à medida que os folículos capilares e glândulas sebáceas se obstruem. Este impedimento ao fluxo de sebo produz também fragilidade, ausência de maleabilidade e vida ao cabelo.

Vitamina C, também conhecida como ácido ascórbico, é uma vitamina hidrossolúvel que atua no funcionamento normal do corpo. É um antioxidante que auxilia na proteção dos danos causados pelos radicais livres e ainda auxilia no funcionamento do sistema imune, mantendo sob controle as bactérias causadoras dos episódios de acne.
O ácido ascórbico é vital para o funcionamento das células, e isso é particularmente evidente no tecido conjuntivo, durante a formação do colágeno, já que atua como co-fator para duas enzimas essenciais na biossíntese do colágeno.

– O zinco ajuda a melhorar a resposta imune, diminuindo infecções de repetição pois sua presença é fundamental à formação de linfócitos T (responsáveis pela imunidade celular), linfócitos B (produzem os cinco anticorpos de nossa defesa imunológica) e células NK, à diferenciação e maturação das células do sistema imune e à melhoria do processo de fagocitose por macrófagos e neutrófilos. Também reduz a inflamação e favorece níveis hormonais saudáveis. Tem papel fundamental na cicatrização de queimaduras, por ser fundamental à ação do DNA e RNA polimerases, enzimas essenciais à síntese protéica.

-A Niacinamida (vitamina B3) compõe o grupo das vitaminas do complexo B. É uma vitamina hidrossolúvel (solúvel em água) essencial para as reações envolvidas para a produção de energia a partir dos alimentos. O efeito terapêutico da niacinamida na acne vulgar parece envolver principalmente a inibição da AMP fosfodiesterase e a transformação do linfócito antígeno induzido, o que inibe a proliferação epitelial da unidade pilo-sebácea, fator primário no desenvolvimento das lesões acnéicas, sendo uma alternativa aos antibióticos nos tratamentos tópicos da acne inflamatória. Não é um antibiótico, não induz à resistência bacteriana. Também ameniza a vermelhidão nos casos de rosácea.