comportamento   / Coronavírus

Conheça June Almeida, a mulher que descobriu o primeiro coronavírus e teve pesquisa ridicularizada em 1960

Ela abandonou a escola aos 16 anos, mas se dedicou aos estudos da virologia e identificou o primeiro coronavírus humano

Bons Fluidos Publicado sexta 8 maio, 2020

Ela abandonou a escola aos 16 anos, mas se dedicou aos estudos da virologia e identificou o primeiro coronavírus humano
June Almeida foi pioneira nos estudos dos coronavírus - Reprodução/BBC/ Wikimedia Commons

Mais do que nunca, o mundo está cada vez mais focado nos estudos do Sars-CoV-2, o novo coronavírus que provoca a infecção da Covid-19, no entanto, anos atrás uma mulher foi pioneira nestas pesquisas. 

Em 1964, a virologista escocesa June Almeida identificou a família viral conhecida por seu formato de coroa, no entanto, anos antes, uma revista científica rejeitou seu trabalho porque cientistas da época afirmavam que June fazia "apenas imagens ruins de partículas do vírus influenza", contou o médico britânico George Winter à BBC. 

Nascida em um bairro pobre na cidade de Glasgow, na Escócia, em 1930, June Almeida era filha de um motorista de ônibus e abandonou a escola aos 16 anos. Sem recursos para estudar em uma faculdade, ela começou a trabalhar como técnica de histopatologia na enfermaria do hospital da cidade, no entanto, seu trabalho permitiu que ela pudesse estudar células afetadas por doenças. 

Tempos depois, June se mudou para Londres, capital da Inglaterra, onde conheceu e se casou com o artista venezuelano Enrique Almeida, em 1954. No mesmo período, ela continuou sua carreira de virologista e começou a trabalhar no hospital St. Bartholomew. 

Após mais uma mudança, desta vez para o Canadá, Almeida se especializou na identificação de estruturas virais e focou nas pesquisas com microscópio eletrônico na Universidade de Ontário, onde conseguiu fazer as primeiras visualizações dos vírus da rubéola, hepatite B e gripe. 

O sucesso profissional de Almeida garantiu para ela o convite para voltar para Londres em 1964 para trabalhar no hospital St. Thomas, o mesmo que tratou o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, a partir daí ela começou a atuar com o pesquisador David Tyrrel e sua carreira decolou. 

A virologista analisava pacientes de gripe comum que chagavam ao hospital e, após receber amostras de lavagens nasais, ela identificou com seu microscópio alguns vírus desconhecidos até então pela ciência. Estes vírus, parecidos com os da influenza, tinham formato de coroa e causavam infecções respiratórias.

Dois anos após a descoberta, as fotos tiradas por June com seu microscópio foram publicadas pela revista Journal of General Virology e mais tarde esses vírus foram batizados de coronavírus por ela e o colega pesquisador. 

Antes de morrer em 2007, aos 77 anos, a virologista se formou doutora pela escola de medicina de Londres e finalizou sua carreira no Instituto Wellcome desenvolvendo vacinas. 

Último acesso: 04 Dec 2021 - 01:17:04 (1042689).