Estudo desenvolve vacina contra a covid-19 feita a partir da planta do feijão-fradinho

O possível imunizante ainda está em fase pré-clínica de estudos e utiliza o vírus mosaico severo, que acomete a folhagem do feijão-de-corda

Bons Fluidos Publicado sexta 10 setembro, 2021

O possível imunizante ainda está em fase pré-clínica de estudos e utiliza o vírus mosaico severo, que acomete a folhagem do feijão-de-corda
Feijão fradinho está sendo estudado para possível vacina contra a covid-19 - Flickr/ Juliana Alvarenga

Um estudo desenvolvido por cientistas do departamento de nanoengenharia da Universidade da Califórnia em San Diego, nos Estados Unidos, investiga as propriedades de um alimento bastante consumido no Brasil, o feijão-fradinho. 

Em busca de desenvolver vacinas contra a covid-19 à base de plantas e bactérias e que não precisariam ser armazenadas sob baixas temperaturas, os pesquisadores encontraram propriedades animadoras na planta da leguminosa, também conhecida como feijão-de-corda. 

+++ Veneno de cobra brasileira tem substância que bloqueia reprodução do coronavírus, diz estudo

Um artigo publicado na Journal of the American Chemical Society, na última terça-feira, 7, detalhou o estudo e afirmou que os resultados são animadores. Os cientistas observaram bons resultados em testes com camundongos, que tiveram alta produção de anticorpos que neutralizantes contra o Sars-CoV-2. 

"O que é emocionante sobre nossa tecnologia de vacinas é que ela é termicamente estável, o que poderia facilitar o alcance a lugares onde a instalação de freezers não é possível", disse Nicole Steinmetz, professora de nanoengenharia da UC San Diego, em comunicado.

+++ Pfizer anuncia que produzirá vacina em parceria com o Brasil para distribuir na América Latina

Como foi feito o estudo?

Para chegar nestes resultados, a equipe de cientistas cultivou milhões de cópias de dois vírus na bactéria Escherichia coli e no feijão-fradinho. 

Os vírus bacteriófago Qbeta e mosaico severo se proliferaram. Os cientistas coletaram nanopartículas destas bactérias e aplicaram nelas um  pedaço da proteína spike do Sars-CoV-2. 

Último acesso: 26 Oct 2021 - 19:16:31 (1045687).