Publicidade

Pintor Maxwell Alexandre, nascido em favela carioca, expõe obras em museu de Paris

A exposição de Maxwell Alexandre fala sobre a arte como uma ferramenta social para negros

Pintor Maxwell Alexandre, nascido em favela carioca, expõe obras em museu de Paris – Reprodução / Instagram / @maxwell_alexandre

Crescido na Rocinha, maior favela do Rio de Janeiro, Maxwell Alexandre vê, agora, sua arte viajar países. Desde o dia 26 de novembro, o pintor expõe sua arte em um museu de arte moderna em Paris, o Palais de Tokyo. Intitulada “Novo Poder”, a sua exposição fala sobre a arte mudar as condições sociais de negros. 

Publicidade

Maxwell Alexandre expõe obras em museu de Paris

Maxwell formou na PUC Rio, em 2018. No ano, sua exposição que mesclou pinturas e performances o fizeram ser notado. Sua primeira obra apresentada fora do país aconteceu em 2019, em Lyon, também na França, em que o artista deu ênfase à densidade humana das grandes cidades da América Latina, reproduzindo cenas do cotidiano.

+++ Elza Soares vence covid-19 aos 91 anos e faz alerta ao público: ”Todo cuidado é pouco”

Agora, nessa exposição em Paris, Maxwell chegou com a proposta de colocar a arte como uma ferramenta social aos negros. O artista pintou seus personagens em tamanho natural — alguns isolados e outros em grupo —, mas não possuem olhos, boca, nariz. Eles aparecem no meio de quadrados marrons e brancos e referenciam a própria imagem e identidade. 

+++ Aflorando o lado artístico! Como a arteterapia pode te ajudar em momentos de crise?

Publicidade

Em entrevista à AFP, o artista explicou sua relação com a arte: “Para mim é a arte, a liberdade num domínio exclusivo, numa comunidade que não convive com a arte contemporânea (…). Quando descobri e compreendi a arte, pude entrar numa narrativa, minha e de pessoas negras.”