sustentabilidade   / Natureza no comando

Força da natureza! Índia e Bangladesh se preparam para receber o ciclone mais devastador das últimas duas décadas

Com a pandemia do coronavírus, a evacuação da população nos lugares afetados ficou mais complicada

Redação Bons Fluidos Publicado quarta 20 maio, 2020

Com a pandemia do coronavírus, a evacuação da população nos lugares afetados ficou mais complicada
Super ciclone atinge Índia e Bangladesh nesta quarta-feira, 20 - PxHere

Um dos fenômenos que promete ser o mais devastador das últimas duas décadas, o super ciclone Amphan, formou-se sobre o Oceano Índico com ventos de até 270 km/h e deve atingir dois países asiáticos nesta quarta-feira, 20.

Cerca de 400 mil pessoas deixaram suas casas na Índia, e 1,5 milhão em Bangladesh, nos últimos dias, e foram para abrigos ou casas mais resistentes dos vizinhos para se protegerem dos estragos que podem acontecer.

De acordo com os meteorologistas, os ventos fortes podem causar perigosos deslizamentos de terras e maremotos, com ondas de até cinco metros de altura, e a área mais atingida deve ser a porção sul da cidade de Calcutá, no estado indiano de Bengala Ocidental, próximo à fronteira com Bangladesh.

“É uma velocidade devastadora e pode causar destruição em grande escala. Deve arrancar árvores e danificar muito as infraestruturas”, disse Mrityunjay Mohapatra, diretor-geral do Departamento de Meteorologia da Índia.

Além de estarem em estado de alerta pela força do fenômeno natural, e pelos diversos estragos que ele pode causar nos países, as autoridades confirmaram que uma das maiores preocupações é em relação à quarentena.

O super ciclone, de intensidade 4 -- na medida de 1 a 5, pode causar muita aglomeração entre as pessoas e sobrecarga nos hospitais, possivelmente aumentando a taxa de casos e mortes peelo coronavírus nos dois locais.

Até o momento, a Índia registrou 3,3 mil mortes por covid-19, enquanto Bangladesh soma 370 óbitos.

Último acesso: 06 Jul 2020 - 18:17:24 (1042758).