Publicidade

Cura pela arte

Gloria Pires encarna Nise da Silveira, médica que humanizou a psiquiatria ao levar afeto e liberdade criativa aos pacientes

Nise: O coração da loucura – Divulgação Imagem Filmes

No lugar da camisa de força, do isolamento e do eletrochoque: tinta, pincel e barro. Com esses ingredientes humanos e artísticos, a médica alagoana Nise da Silveira (1905-1999) revolucionou os tratamentos psiquiátricos praticados nos manicômios brasileiros até a segunda metade do século 20. “Eu não acredito em cura pela violência.” A contundência dessa frase-bandeira norteou sua vida e seu trabalho junto aos esquizofrênicos, tema do filme Nise – O Coração da Loucura, que estreou nos cinemas em 21 de abril, dirigido por Roberto Berliner e estrelado pela atriz Gloria Pires (na foto acima, ao lado de Fabrício Boliveira). 

Publicidade
Filmado durante dois meses no Instituto Nise da Silveira, antigo Hospital Psiquiátrico Pedro II, localizado no Engenho de Dentro, subúrbio carioca – onde ela trabalhou de 1944 a 1974 –, o longa retrata a batalha empreendida pela médica para firmar a reabilitação mental por meio da terapia ocupacional, método desprezado pela medicina da época. “É necessário se espantar, se indignar e se contagiar. Só assim é possível mudar a realidade”, defendia a mulher franzina e combativa que apostou no poder terapêutico de um ateliê de pintura e no convívio dos pacientes com animais domésticos – segundo ela, um meio de estimular a afetividade. Sua metodologia, baseada na exploração do inconsciente – caminho de expressão não verbal, próprio para transtornos de ordem psíquica –, é referência até hoje no Brasil e no exterior. 
Sob o olhar amoroso da psiquiatra, foram revelados grandes nomes das artes plásticas, como Emydgio de Barros, Raphael Domingues, Lucio Noeman e Fernando Diniz. O talento desses artistas, como mostra o filme, contagiou ainda mais o espírito dessa pioneira, fortalecida para seguir adiante. 
A produção ainda reconstitui o surgimento do Museu da Imagem do Inconsciente, fundado em 1952. Conhecido internacionalmente, o local expõe os trabalhos dos “clientes” de Nise e possui mais de 350 mil obras em seu acervo.
NISE – O CORAÇÃO DA LOUCURA
Imagem Filmes, 108 min