Publicidade

Dia Internacional de Subir na Árvore: Inspire-se nessa data todos os dias

No último domingo de março foi o Dia Internacional de Subir em Árvore

O colunista Carlos Sandano – Divulgação

Prepare o fôlego! O último domingo de Março é o Dia Internacional de Subir em Árvores (International Tree Climbing Day). A data foi criada em 2003 por um grupo de artistas britânicos e celebra, em vários países, a maravilha que é a árvore. Esse assunto tem mais a ver com o seu bem-estar do que você imagina. Pense na falta de água e no calor sufocante que se alastra. 

Publicidade
O renomado professor de Feng Shui Thomas Lin Yun (1932-2010), quando perguntado sobre qual a maior cura ambiental, respondeu: “Uma árvore”. Então, mexa-se, vamos subir em árvores! Primeiro, toque as raízes, entenda a base de tudo. Uma boa razão para cuidarmos das árvores é a nossa própria sobrevivência. Já ouviu falar de biodiversidade? Na natureza, uma espécie sustenta a outra, não só na alimentação, mas criando ambientes adequados para que todas possam viver. Imagine um castelo de cartas onde cada uma seja uma espécie de inseto, animal, vegetal etc. e, no topo, o homem. O que acontece se alguém for tirando algumas cartas da pilha? Talvez o castelo resista por um tempo, mas acabará desmoronando. Pois destruindo as árvores, nas florestas ou nas cidades, retiramos “cartas” que prejudicam diretamente os ecossistemas, os recursos naturais, o clima, as chuvas, e brincamos de demolir o “castelo” onde moramos. 
Agora, suba no primeiro galho da sua árvore e procure ver mais longe. O ritmo das chuvas está afetado na maior parte do país e a falta d’água bate à porta de mais de mil municípios. Sem chuva, os rios não escoam água sufi ciente e, com os níveis já muito críticos, o que esperar do próximo período de seca total? Suba mais um galho, olhe o horizonte amplo. De onde vem esse desequilíbrio? Resumindo: do desmatamento, especialmente, da Amazônia. Essa floresta transpira bilhões de toneladas de vapor d’água ao ano que, levados pelos ventos, se precipitam sobre 75% do país em chuvas abundantes. Mas desmatamento significa também menos umidade no ar e menos nuvens. Alcance agora o topo da sua árvore e observe que vasto mundo, céu e terra! O que nós, meros mortais, podemos fazer? Plantar árvores. Uma espécie com 10 metros de diâmetro transpira 300 litros de água por dia, o que é mais do que o dobro do consumo diário de uma pessoa comum. 
Algumas dão-se bem em vasos como o fícus, a jabuticaba, a pitanga. Podemos ainda apoiar os grupos que plantam ou protegem as florestas. O mais importante, porém, é cultivar a consciência, entender o que acontece quando as árvores são cortadas (extinção de espécies, assoreamento de rios, aumento da poluição do ar, desertificação da paisagem, desequilíbrio nas chuvas) e exercer a cidadania opinando, cobrando medidas, plantando e ajudando a preservar. Podemos mudar de endereço, não de planeta. Por isso, desça agora da sua árvore e dê as mãos às milhares de pessoas que ao redor do mundo protegem essa forma de vida. Vida que te quero verde.