Publicidade
Comece hoje, que tal? – Pexels

Todo pensamento carrega uma energia. Muitos deles, principalmente os negativos ou relacionados à preocupação, ninguém joga fora: pensa, repensa e guarda em um cantinho da mente, repetindo esse processo até ficar completamente sobrecarregado. “Como queremos ter paz de espírito se não organizamos nossa mente, jogando fora tudo aquilo que não nos pertence?”, questiona o monge Satyanatha, nome monástico do brasileiro Davi Murbach, ex-engenheiro da computação, que largou tudo para viver em um monastério e se tornou monge aos 26 anos.

Publicidade

Como uma boa chuveirada, meditar remove todas as impurezas da alma, assim como a água e o sabão removem as impurezas do corpo. “A técnica está aí para nos servir, para nos tornarmos a melhor versão de nós mesmos”, explica o monge, que selecionou cinco ensinamentos essenciais para quem quer meditar e se conectar com a sua paz:  

1. Encontre o método ideal pra você
“Não pensa em nada”, dizem, e você estará meditando plenamente. Entretanto, não pensar em nada é também um dos métodos mais difíceis. “Como você diz pra uma mãe que trabalhou o dia inteiro e tem três filhos pra não pensar em nada? É extremamente difícil”, explica Satyanatha. O que pouca gente sabe é que essa é apenas uma das muitas maneiras de meditar, o importante é encontrar a que funciona para você. “Conheça outras técnicas, teste métodos e horários. Uma vai se encaixar ao seu perfil”, completa o monge.

2. Direcione a sua atenção
São muitas as técnicas para aprender a meditar. Uma delas é o mindfulness, ou seja, quando você se entrega completamente ao momento presente e presta total atenção no que está acontecendo naquela hora. “Prestar atenção no seu corpo, na sua respiração ou no sol que bate na sua pele. Ao invés de esvaziar os pensamentos, direcionar eles para o momento presente”, orienta o monge.

3. Use a meditação para um propósito
Uma técnica muito boa pra quem está começando é a meditação com propósito. Você libera toda a sua tensão e foca em, por exemplo, dormir melhor, aumentar a sua inteligência, autoconfiança, ou mesmo perdoar alguém. “Essas meditações focadas em algum resultado são ótimas para um primeiro contato com a técnica, porque você se esforça pelo resultado e se foca de verdade na meditação. Com o tempo, você vai perceber que consegue perdoar ou dormir bem sem nem precisar meditar”, garante o monge.

Publicidade

4. Espante o sono
Meditar e sentir sono é muito comum – e não é sinal de que a meditação está dando errado. “Fechar os olhos, parar de falar e ficar em silêncio são ações que fazemos quando vamos dormir, é preciso acostumar o cérebro que essa série de acontecimentos pode ter outro significado”. Aos poucos, sua mente vai entender que essas ações também podem representar o momento para uma jornada interior de meditação, e não só uma soneca.

5. Horário da meditação
A hora perfeita para meditar é a sua. Por ser uma atividade muito pessoal, vai funcionar em momentos diferentes para cada pessoa. O único requisito é que seja um momento em que você não seja interrompido. “Se é de manhã cedo ou antes de dormir, é uma escolha pessoal”, comenta o monge.

Publicidade