inspiracao   / Solidariedade

Projeto social capacita mulheres que perderam renda a produzir e vender máscaras no interior de SP

ONG Orientavida vem ajudando mulheres de baixa renda em meio a pandemia da Covid-19

MANEQUIM Publicado sexta 8 maio, 2020

ONG Orientavida vem ajudando mulheres de baixa renda em meio a pandemia da Covid-19
Projeto social capacita mulheres que perderam renda a produzir e vender máscaras no interior de SP - Reprodução/ONG Orientavida

A pandemia do coronavírus trouxe consequências não apenas sociais, mas econômicas para toda a população mundial. No Brasil, economistas apontam que os trabalhadores informais serão os mais afetados pela crise. Dentre eles, as mulheres formam a maioria. Ainda assim, elas somam mais de 53% dos desempregados brasileiros, segundos dados recentes do IBGE.

Pensando nisso, a ONG Orientavida, fundada na cidade de Potim, interior de São Paulo, se mobilizou e passou a ajudar as mulheres que tiveram suas rendas debilitadas ou cortadas durante a quarentena, oferecendo capacitação para que elas produzam máscaras de proteção contra o vírus em casa.

Vale lembrar que grande parte da renda das famílias de Potim vem do trabalho informal voltado ao turismo religioso feito na cidade de Aparecida. Com o fechamento da famosa Basília Nossa Senhora de Aparecida, que recebe em média 12 milhões de turistas por ano, a falta de trabalho vem prejudicando visivelmente a população da cidade vizinha.

Para o portal de notícias Catraca Livre, o diretor-executivo da ONG, José Carlos Carvalho, contou: “Não podemos nos omitir num momento como este, então toda nossa atenção se concentra em promover atividades de capacitação para que elas possam trabalhar, de forma segura e em suas casas, e ainda contribuir para a proteção da população".

O projeto social desenvolveu um molde de máscara que atende todas as exigências de proteção para o usuário, passando para as artesãs técnicas de corte, costura e higienização do produto. Ao todo, mais de 100 mulheres já forma capacitadas, e a ideia é treinar 200 até o fim do mês de maio.

O resultado: por mês, as moças ajudadas são capazes de costurar até 800 máscaras. Desde que o projeto começou, mais de 20 mil foram produzidas. “Capacitá-las para produzir essas peças abre frente para comercialização de um produto escasso no mercado, então todo mundo sai ganhando”, complementou Carvalho.

Os produtos da ONG Orientavida estão disponíveis no site da organização (clique aqui para acessar).

Último acesso: 21 Sep 2020 - 15:57:04 (1042693).