Como criar crianças para que elas se tornem adultos emocionalmente saudáveis? Psicóloga dá dicas valiosas

A profissional Airam Chaves conversou com a Bons Fluidos e deu indicações importantes sobre como criar um ambiente positivo para seu filho

Bons Fluidos Publicado sexta 14 maio, 2021

A profissional Airam Chaves conversou com a Bons Fluidos e deu indicações importantes sobre como criar um ambiente positivo para seu filho
Como os pais podem criar crianças para que elas se tornem adultos emocionalmente saudáveis? - Foto de Emma Bauso no Pexels

Muitos dizem que o amor incondicional é encontrado da maneira mais sincera quando se tem um filho. Mas apesar da emoção de criar uma criança, sabemos que muitas vezes essa missão pode ser algo não tão fácil, certo?

Entre erros e acertos, os pais devem sempre se preocupar com a saúde física e principalmente mental dos pequenos. Projetar uma autoestima saudável nas crianças é mais que necessário. Hoje, a Bons Fluidos conversou com a psicóloga Airam Chaves que deu algumas dicas valiosas sobre o assunto.

+ VEJA: Como lidar com a tristeza das crianças na pandemia? Psicóloga fala sobre o assunto e dá dica aos pais

+ VEJA: ''Soma dos medos'', diz psicóloga sobre ansiedade na quarentena

Como os pais podem criar crianças para que elas se tornem adultos emocionalmente saudáveis?

"As crianças passam por momentos emocionais que não são expressos no diálogo, por isso elas tendem a falar com o corpo, nos gestos. Para que os pais possam criar crianças para que sejam adultos emocionalmente saudáveis, é fundamental que possam entender essa posição infantil para desenvolver uma ajuda emocional para eles. Ouça o que tenham a dizer e promovam sempre o diálogo."

Como ajudar as crianças a desenvolverem a resiliência e autoestima?

"Para desenvolver essas qualidades, é importante que os pais sejam mais afetivos, acolhedores, buscando compreender o que eles estão buscando. Reconheça o que eles estão falando e fazendo, escute. Não invalide o jeito da criança demonstrar o afeto e a dor. Não generalize com 'quer chamar atenção' essa posição dos pais acaba gerando insegurança na criança, causando comportamento negativo no futuro."

Nesse processo também é importante ensinar sobre positividade?

"Com certeza. Por exemplo, para ajudá-los, você pode trocar frases do dia a dia que reforçam a positividade da criança. Ao invés de usar esse tipo de frase, 'Você não sabe fazer isso, deixe que eu faça', pode trocar por 'sei que você não sabe fazer isso, mas posso te ensinar a melhorar'.

Um exemplo muito legal é quando a criança insiste em algum objeto como querer comprar ou fazer algo. Quando isso gera uma instabilidade emocional, a criança acaba agindo com birras. O adulto que o acompanha, poderá reconhecer, explicar e acolher. Chegando na mesma altura que a criança, explicar o porquê de não poder levar aquele objeto, explique para ele qual o motivo, diga que entende como ele gostaria de levar ou fazer determinada coisa, mas que também percebeu o quanto ele ficou chateado em não poder levar ou fazer o que queria. A criança não aceita um simples 'não'. Atitudes como essa parecem pequenas e muita das vezes passam despercebidas, porém, elas ajudam no desenvolvimento emocional, psíquico e social do futuro adulto."

Dê dicas para criar filhos resilientes e com boa autoestima.

"Não existe passo a passo para ser feliz, mas posso afirmar que comportamentos alinhados desde a infância colaboram para o ser humano encontrar a felicidade dentro de si. Vale a pena também os pais reforçarem e reconhecerem o comportamento positivo da criança. É uma importante dica para ajudá-los a serem resilientes e com boa autoestima. Exemplo de quando a criança foi mal na atividade escolar/ ou em qualquer outra: 'Você não conseguiu dessa vez, mas o que você acha que podemos fazer para melhorar isso?', 'tudo bem ter acontecido isso, nem sempre seremos 100% para algo. Vamos descobrir juntos como aperfeiçoar'. Portanto, mostre cumplicidade.


Psicóloga Airam Chaves - CRP: 05/62734 - Formada em psicologia pela Celso Lisboa; Pós-graduada em psiquiatria e saúde mental da infância e adolescência - Público: infanto-juvenil, pais, família

Último acesso: 30 Nov 2021 - 11:58:18 (1044953).