inspiracao   / Superação

Às vésperas dos 117 anos, segunda pessoa mais velha do mundo se cura da Covid-19

Lucile Randon, também conhecida como irmã Andree, passou 16 dias em isolamento na na casa de repouso em vive

REDAÇÃO BONS FLUIDOS Publicado terça 9 fevereiro, 2021

Lucile Randon, também conhecida como irmã Andree, passou 16 dias em isolamento na na casa de repouso em vive
As vésperas dos 117 anos, segunda pessoa mais velha do mundo se cura da Covid-19 - Foto: Reprodução/Facebook/St Mary's RC Church

Lucile Randon, também conhecida como irmã Andree, foi mais uma das mais de 40 milhões de pessoas que contraíram o vírus da Covid-19 no mundo, porém a única com 116 anos a lidar e superar a doença pandêmica.

Às vésperas de seu aniversário de 117 anos, que serão completados nesta próxima quinta-feira, 11 de fevereiro, Lucile é considerada hoje a pessoa mais velha da Europa e a segunda pessoa com mais idade no mundo, atrás apenas da japonesa Kane Tanaka, nascida em 2 de janeiro de 1903, com 118 anos.

+ VEJA: Jovem que teve 80% do corpo queimado é a 1ª pessoa a receber transplante de face e mãos no mundo

+ VEJA: Estudo mostra que ser otimista pode ajudar a viver melhor na velhice; entenda

Moradora da cidade de Toulon, localizada ao sul da França, irmã Andree, precisou passar 16 dias em isolamento social após ser contaminada na casa de repouso em que vive. Lá, outras 80 pessoas contraíram o vírus, porém, 10 não sobreviveram. As informações são do portal G1.

A segunda mulher mais velha do mundo ainda se recorda de fatos históricos como a sua passagem pelas Grandes 1ª e 2ª Guerras Mundiais. Após a vitória dos Estados Unidos e União Soviética em 1945, Andree passou a trabalhar durante como cuidadora de órfãos e idosos no Hospital de Vichy, local onde permaneceu durante 28 anos.

Nascida no ano de 1904, Lucile Randon tem seu recorde reconhecido pelo Grupo de Pesquisas de Gerontologia.

Último acesso: 20 Oct 2021 - 13:25:35 (1044344).